Baladinha romântica

Acho que cheguei a falar pra você, algumas vezes, da minha vontade louca de viajar pra cada canto do mundo. Estamos juntos há cinco meses, e antes de você eu namorei outro cara por quase três anos. Com ele eu tive vontade de passear pela Espanha, Holanda, Suíça, mas com você nunca pretendi ir a lugar algum. Como naquele dia que você bebeu um gole de café expresso e me disse que “às vezes a gente não sabe o que fazer com as pessoas que a gente não quer mais”.

Eu sei que você não gosta que eu agradeça pelas coisas. Você diz que fica parecendo que eu preciso do perdão da humanidade pra sobreviver. Mas obrigado por me dar esse tempo. Por ter entendido que a gente tava atropelando as coisas. Quando eu me dei conta as suas camisas já estavam na minha casa e as minhas correspondências chegavam na sua. E esse tempo me ajudou a me escutar, a ver que eu estava indo por uma direção completamente errada. Poder ouvir essa voz me dizer que agora que eu consegui me livrar de um relacionamento que me doeu tanto, não faz sentido andar pra trás com você. Eu não quero dar marcha à ré. Nem invadir a contramão. Eu não quero mais dar um tempo. Eu não acredito muito nisso. Também não quero falar em data. Piorou te pedir pra me esperar.

E eu achava importantíssimo vir aqui porque você precisa de uma explicação, não sei, talvez a gente precisa deixar as coisas às claras, ainda que isso doa em algum canto. Ainda que isso seja cruel e triste de se dizer.

O amor me desorganiza, bagunça a minha rotina inteira, me tira a concentração, me dá coragem. Acho que no fundo foi isso que aconteceu. Por causa de você eu fiquei tão desesperado, tão fora de controle, que eu tive que transformar minha vida inteira. Eu fui cansando de tantas coisas que eu nem sei por onde começar. Eu tive que me adaptar ao seu trabalho, aos seus horários, à sua mãe, à sua casa, ao seu carro, à sua vida. Eu tive que ser alguma coisa que não sou eu. Ou que, ao menos, eu não quero ser agora. E no meio disso eu percebi que o mundo é muito maior, que de certa forma eu estava dando as costas pra ele, me doando a ponto de ficar seco, chupado, batendo na mesma tecla, querendo construir uma relação que eu sempre quis, mas que não encaixa mais depois de tanto não conseguir dar certo com homem nenhum, errando como eu errei nos outros relacionamentos.

O término do meu namoro é recente, você sabe. Também não sei se ainda tenho paciência de namorar um cara como você, recém-separado, recém saído do armário, cheio de desconfortos. E eu acabei de me experimentar sozinho, de sentir o gosto de liberdade sem precisar depender de alguém. Sabe o que é colocar uma roupa linda e ir a uma festa sem a esperança boba de ser paquerado pra dizer que valeu a pena sair de casa? Sabe o que é dormir sem sentir angústia e acordar sem dores nos ombros por pura ansiedade de uma ligação que nunca vai chegar de um cara qualquer? É isso. Tudo pra mim é novo em folha e eu não quero trocar esse sentimento por uma nova relação. Eu não quero voltar a ser aquele Murilo intenso, cheio de vida pra gastar à toa e sofrer pelo desgaste. Pior: culpar alguém por não ser exatamente como eu quis. Minha única âncora agora é essa aposta de conseguir ser feliz sozinho. Talvez eu consiga, talvez não.

Você terminou um casamento que estava esgotado. E eu terminei um namoro que estava adormecido. Dois frustrados por uma vida que nos tornava coadjuvantes, em meio a arrogância pra sermos protagonistas, de sermos felizes a qualquer custo. De certa forma a gente foi catalizador um pro outro de coisas muito importantes que precisavam acontecer, pra dividir dores e suprir carências. A gente trouxe pro outro novas perspectivas. A gente pôde se sentir, recuperar a atração, a vontade de gostar de alguém quando tudo pareceu praticamente impossível. Voltar do trabalho e ter a certeza de encontrar alguém que te apoia, que confia, que te entende. Sentar no sofá e comer resto de pizza gelada e achar isso a melhor coisa do mundo quando se está acompanhado da melhor pessoa do mundo. Poxa, às vezes alguns relacionamentos duram a vida inteira e não conseguem isso. Mas a gente conseguiu em tão pouco tempo e foi tão bonito, acolhedor, prazeroso.

Eu acho supernatural que você queira uma história nova, verdadeira, e queira isso já. Você não teve isso com a sua ex-mulher. Você merece um companheiro que conviva bem com seus projetos, suas ideias incríveis e que queira construir uma família. Não é justo eu acenar com expectativas que depois eu não vou ser capaz de cumprir. Eu não quero te atrapalhar nessa busca. Eu não quero te abandonar no orgasmo. Eu não posso me meter no meio da pista e atrapalhar a sua dança, a sua baladinha romântica, se eu não sei dançar. Eu não sei se você compreende isso, mas meu papel agora é ficar na plateia. Ou, talvez, desfilando pelo salão. 

Eu me apaixonei de uma forma tão bonita por você, mas a gente quer coisas diferentes. Eu tenho certeza que você vai encontrar essa pessoa que vai te dar tudo o que você precisa. Mas esse homem não sou eu.

Nenhum Comentário

Os comentários estão desativados.